Para escolher o aquecedor mais adequado um estudo técnico deve ser
feito: as dimensões da piscina, sua forma construtiva, o clima da região, os hábitos de uso e o espaço existente para as instalações (que devem ser feitas por profissionais especializados) são os fatores a serem levados em conta.
Tipo Solar: o aquecedor solar dura, em média, 20 anos e aproveita uma fonte renovável de energia: a luz do sol. A desvantagem é que, em épocas muito nubladas, seu funcionamento pode ser prejudicado.

Bomba de calor: também chamado de ‘trocador de calor’, este aparelho converte calor de baixa temperatura em calor de alta temperatura, ou seja, o equipamento absorve e processa o calor do ar (mesmo quando o tempo está frio) evaporando, comprimindo, condensando e expandindo continuamente o fluido para que a água seja aquecida. O processo é o inverso do utilizado pelos condicionadores de ar ou geladeiras.

A gás: o aquecimento é eficiente e não depende de condições climáticas. Sua durabilidade é alta e o custo de instalação não é tão expressivo quando comparado à bomba de calor (alimentado por
eletricidade) ou o solar, mas o consumo de gás (seja Gás Natural ou Gás Liquefeito de Petróleo, o de botijão) o faz mais custoso em longo prazo.

Fonte: https://bit.ly/2L5aVqg